ENSP Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca

Rio de Janeiro, 24/11/2017

Biblioteca Multimídia da ENSP
formulario de busca
 
 

Home > Temas

 

Fonte: CCI/ENSP
Autor(a): Leandro BBS
Silva DS
Santos IDM

Material Disponível em:

Caso não tenha o programa Acrobat Reader instalado clique no ícone ao lado para download.


Science News Online

Scientific Electronic Library Online - SciElO

Biblioteca Virtual em Saúde - BVS

Jornal da Ciência

Associação Brasileira de Gestão do Conhecimento

Informe da ENSP

Curso de Vigilância em Saúde na Atenção Básica: guia de aprendizagem para formação de mobilizadores

Guia organizado por Bianca Borges da Silva Leandro (Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fiocruz), Daiana Silveira da Silva (Laboratório de Monitoramento Epidemiológico de Grandes Empreendimentos - LabMep/ENSP/FIOCRUZ) e Isabel Domingos Martinez dos Santos (Mestranda em Saúde Pública ENSP/Fiocruz). Este texto foi produzido para o Curso de Vigilância em Saúde na Atenção Básica, que alinhando teoria e prática, pretende promover a formação de lideranças técnicas municipais integrando os diferentes setores envolvidos na vigilância em saúde de forma a fomentar a discussão e proposição de soluções para os complexos problemas de saúde do atual contexto sanitário. A proposta do curso foi aprovada no ano de 2014, iniciou sua execução no ano de 2015 e, tem como previsão, o seu término em 2017.

Inicialmente, é importante entender que a vigilância em saúde no Sistema Único de Saúde (SUS) ainda é um projeto inconcluso, marcado pelas crises recentes de abrangência nacional, como também pelo sentimento difuso de aumento das incertezas e vulnerabilidades socioespaciais. Historicamente, a saúde brasileira tem avanços importantes da vigilância em saúde pautados em logicas distintas: vigilância vinculada aos programas de controle de doenças e agravos; vigilâncias dos fatores de riscos epidemiológicos e ambientais; vigilâncias relacionadas a segurança; vigilância de doenças emergentes e reemergentes e vigilância de acidentes e emergências em saúde. Entretanto, o trabalho da vigilância em saúde pautado no “fazer mais da mesma coisa, sempre que possível um pouco melhor”, enquanto necessário, parece não ser mais suficiente. Hoje, no SUS, surge, como desafio, a necessidade de se pensar em uma modalidade de vigilância da saúde que tenha como ponto de partida os problemas coletivos de saúde. Nessa lógica, deve-se pensar a vigilância da saúde e sua interação com a Atenção Básica com vistas a fortalecer uma vigilância que aconteça no cotidiano do território local. Aliado a isso, e necessário o avanço de uma proposta de vigilância para o controle público, com base em informações locais contextualizadas no território e no processo histórico, pautada na natureza de múltiplas fontes de dados e informações e que dê voz a população e aos profissionais de saúde que atuam no nível local, na “ponta” dos serviços de saúde. Tendo por base esses desafios e que foi pensado este material didático que compõem a estratégia formativa deste curso de vigilância em saúde com ênfase na Atenção Básica. Não são respostas que seguem, mas diversas questões e reflexões que nos fazem repensar o papel da vigilância da saúde para o fortalecimento do SUS e para as melhorias das condições de vida da população. Texto disponível no ícone ao lado.


 

Créditos  

 
Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons